O Centro de Educação Popular e Formação Social – CEPFS realiza cursos sobre tecnologias sociais sustentáveis para a segurança hídrica no semi-árido





O Centro de Educação Popular e Formação Social – CEPFS, nos períodos: 8 a 9 e 15 a 16 de novembro realizou 02 cursos sobre tecnologias sociais sustentáveis para a segurança hídrica no semi-árido, em sua área experimental na comunidade Riacho das Moças, município de Maturéia, estado da Paraíba. Os ventos contaram com o apoio da BrazilFoundation e parceria com a Central das Associações Comunitárias do Município de Cacimbas – CAMEC, através do Programa de Mobilização e Formação para Convivência com o Semi-Árido 1 Milhão de Cisternas Rurais. O primeiro evento, realizado nos dias 8 e 9 de novembro contou com a participação de representantes de 12 municípios da Serra do Teixeira (Desterro, Juru, Cacimbas , Princesa Isabel, Imaculada, Teixeira, Manaira, Livramento, Água Branca, Maturéia, Tavares e Taperoá), somando um total de 61 participantes sendo 44 homens e 17 mulheres. Os referidos eventos constaram de uma programação intensa com exposições, trabalho em grupos sobre temáticas voltas para a convivência com a realidade semi-árida, sustentabilidade, fundos rotativos solidários, etc., e, visitas diretas as tecnologias sociais existentes na área experimental, através de uma dinâmica de carrossel, ou seja, o público foi dividido em grupos para visitarem, em forma de rodízio, 04 das experiência existentes na área, cuja eficiência já foi comprovada no tocante a captação e manejo de água de chuva. O segundo evento, realizado nos dias 15 e 16 de novembro contou com participantes de 09 Municípios (Teixeira, Manaira, Tavares, Água Branca, Princesa Isabel, Juru, Cacimbas, Maturéia e Desterro), somando um total de 39 participantes, sendo 29 homens e 10 mulheres. A troca de informações e experiência foi um marco forte nos dois eventos. Dialogando entre si sobre o conteúdo apresentado e as experiências visitadas, o nível de satisfação dos participantes pôde ser registrado através da participação efetiva do público, até os últimos momentos de cada curso. Com essa dinâmica as lideranças comunitárias, assim como integrantes da agricultura familiar vão se descobrindo como atores sociais, fundamentais para incidir em mudanças na realidade onde estão inseridos, a partir dos potenciais existentes em suas próprias propriedades. Em termos de resultados para o processo de difusão, pode se registrar um grande interesse dos participantes por todas as tecnologias sociais visitadas, com destaque para o sistema de reciclagem de água servida, bomba d´água aro trampolim, captação de água em lajedo de pedra e armazenamento em cisternas, barramento de água de estrada e armazenamento em cisternas e, a cisterna com sistema de bóia para lavagem do telhado.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.